O B2B ainda não explora o digital (e porque isso é uma oportunidade)


O B2B ainda não explora o digital (e porque isso é uma oportunidade)

Mesmo com a evolução das soluções digitais para empresas, grande parte dos gestores ainda não tem a verdadeira noção do impacto que a tecnologia pode causar na sua operação e outros são céticos em relação aos benefícios de dar um passo além e, realmente, aproveitar a revolução digital.

O mercado B2B ainda pode evoluir, e muito, neste cenário. Em contato com várias indústrias e distribuidoras, percebemos algumas situações que demonstram isso.

 

1 – E-mail é canal oficial para receber pedidos

O e-mail é de longe o canal mais utilizado por indústrias e distribuidoras brasileiras quando o assunto é venda e captura do pedido. E isso acontece tanto pra quem recebe 10 pedidos por dia, como pra quem recebe 100.

Não são poucas as empresas que investem muito dinheiro em atividades que poderiam ser facilmente automatizadas, como por exemplo a digitação e conferência do pedido.

Apesar de o e-mail ser “online”, hoje ele tem funcionado como um “fax do século XXI” e existem soluções mais inovadoras e práticas para agilizar esse processo.

2 – Oportunidades perdidas em Marketing

Muitas empresas contam com setores de marketing, outras utilizam os serviços de uma agência, e, em ambos os casos, apesar de as empresas darem importância ao marketing para ações como criação e atualização de catálogos de produtos, ignoram outras oportunidades importantes que podem ser utilizadas e associadas às vendas, como o marketing digital.

 

3 – Visitar, visitar, visitar

“Se não visitar não vende”. Essa é uma frase bastante comum entre os gestores comerciais. E, realmente, a visita é muito importante, afinal, sem ela o cliente não conhece o representante, não olha no olho e não cria confiança.

Porém, depois desse contato de apresentações, também existe uma parcela de clientes que adoraria comprar sem parar os afazeres do dia. Alternativas para servir esse cliente com excelência já existem, como o e-commerce B2B, que também privilegia a relação da empresa com o vendedor. Mas as iniciativas nesse sentido ainda são raras.

4 – Portais de venda

Pode parecer que a empresa é digital por utilizar um portal de vendas, mas, na maioria das vezes, ele é um sistema que foi criado há anos e não tem atualizações constantes. Muitas vezes nem se adapta às telas de smartphones. Ou seja, apesar de ser acessado pela internet, é um modelo que não acompanha a evolução do mercado.

5 – Follow-up de pedidos

Em diversos casos, há pelo menos um profissional responsável por atender ligações de clientes ou vendedores para responder o status do pedido, sua previsão de entrega, faturamento, etc.

Esse número ainda se multiplica dependendo da quantidade de clientes e de vendedores. Apesar de o contato ser muitas vezes por e-mails ou WhatsApp, existem formas mais práticas e modernas para fornecimento deste tipo de informação.

6 – WhatsApp

Ele foi a revolução dos últimos anos. Na prática, ninguém é responsável por sua adoção mas todo mundo sabe que ele existe e faz parte das regras do jogo.

A atenção neste ponto é que muitas empresas deixam de vender online alegando que o cliente não compra pela internet. Mas não se dão conta que  o WhatsApp também é uma forma de venda online.

O movimento começou

Uma nova geração de compradores vem ocupando a linha de frente de muitas empresas no Brasil e isso tem obrigado muitos gestores comerciais a buscar alternativas para se manterem atualizados no mercado, e as próprias áreas das empresas demandam por mudanças.

Mas, enquanto tem gente preocupada com presença digital, venda pela internet, audiência, relevância, redes sociais e afins, ainda tem quem acredite que o problema é apenas a concorrência.

O mundo digital está aí, resta buscar as melhores formas de aproveitá-lo pra não ficar pra trás.

 

Sua empresa é digital? Que tipo de serviço foi transformado recentemente? Compartilhe seus aprendizados.

Renersson Agostini

Renersson Agostini

Coordenador de Vendas em Meus Pedidos
MBA em Gestão Comercial e pós-graduado em Gestão da Produção, acumula mais de 10 anos de experiência em vendas e gestão de empresas. Responsável pela coordenação da equipe de vendas para grandes organizações na Meus Pedidos.
Renersson Agostini
Compartilhar
Twittar
+1
Compartilhar